RETOCANDO A VIRILHA

Desde a década de 70, após ler Fim do futuro? – Manifesto Ecológico Brasileiro, de 1976, de José Lutzenberger, tomei consciência dos problemas ecológicos de uma maneira mais ampla e passei a preocupar-me com tudo o que diz respeito ao meio ambiente. Assim, considero-me consciente e também, por exemplo, um verdadeiro turista ecológico: não entro no mato, não piso nas plantas, não pesco peixes só para me divertir, não encho o saco dos animais da floresta; enfim, não incomodo meus dessemelhantes vivos, fósseis ou inanimados.

Mas tenho visto protestos de ambientalistas extremados diante de qualquer construção, por menor que seja, sob o argumento de que se irá interferir no espaço físico, com risco de desequilíbrio. Ora, sabemos que algumas, inclusive, interferirão também no espaço social. Algo ou alguém há de pagar, muito ou pouco, por qualquer intervenção.

Não se faz nada sem que se incomode alguém, um bicho, um mato, um córrego cantante, um ninho de mafagafes.

Até um singelo passo que damos pode ser o fim de várias formas de vida abaixo de nossa sola. Uma enxadada na terra é uma pequena catástrofe para as minhocas e os micro-organismos que ali pululam aos milhões.

Não podemos é querer manter nosso conforto e nossa disposição em fazer filhos a estourar os índices socioeconômicos, e continuar tudo na mesma, com os mesmos níveis de produção de bens e riquezas, de alimentos, como se não fosse nada. Ou paramos de crescer, ou teremos de intervir no espaço físico em que nos inserimos.

É bem verdade que, em vários casos, há, por trás do interesse maior em se promover o progresso, consequentemente o bem-estar da população, os mais espúrios interesses econômicos e as espertezas dos corruptos de plantão. No entanto cabe à sociedade zelar pelo interesse maior, que é a harmonia entre o bicho homem, os demais bichos, córregos d’água e plantas, mantendo os olhos abertos a toda manobra criminosa e ilegal.

É, mal comparando (e põe mal nisso!), como retocar a virilha para mais um verão promissor, quando se vai usar aquele novo minibiquíni amarelo: alguns pelos cairão, alguns podem mesmo inflamar, ocorrerão escoriações, porém o essencial – aquilo que interessa – estará preservado. Ou não?

CQD (imagem em dicasdahora.com.br).

Anúncios

Um comentário em “RETOCANDO A VIRILHA

  1. zatonio disse:

    Concordo em gênero, número e degrau…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s