AO MEU PAI

Em 2009, no Dia dos Pais, enviei ao seu Argemiro, morador de Bom Jesus do Norte, a mensagem abaixo, que pedia ser lida por uma das minhas irmãs. Não pude ir até lá.

Neste último domingo, 14/8/2011, estive lá para lhe dar um beijo e um abraço e agradecer-lhe, mais uma vez, a sua longa presença entre nós – noventa e quatro anos –, já que ele vem de 1917 para cá, cumprindo a cada virada do calendário uma de suas funções na vida, talvez a derradeira e mais importante: ser o esteio da família e o elo de ligação entre todos nós, filhos, netos e bisnetos.

Estou mostrando a vocês a mensagem não porque a julgue bem escrita, bonita, profunda. Nada disso! É que me saltou à mente – e mente de licenciado em Letras com certo humor na vida – que meu pai já atravessou três reformas ortográficas. Nasceu sob a famosa ortografia pseudoetimológica. Sobreviveu à grande mudança de 1943, quando se suprimiram formas com ph, th, dentre outras. Não tomou conhecimento daquela que suprimiu o acento diferencial, por exemplo, de cafèzinho. E agora está na fase do espancamento do trema e do horror ao hífen.

Teimoso na vida como ele é – felizmente –, acho que ainda vai pegar mais outra reforma ortográfica que possa surgir da cabeça de nossos mestres.

Eis a mensagem, cujo teor se mantém, mas que só deve ser atualizada na data final: 2011.

Pai, neste ano, por ocasião do Dia dos Pais, quero repetir ou dizer pela primeira vez, se a sua memória não guardou, ou a minha intenção não foi concretizada, que sempre tive o maior orgulho de ser seu filho.

Com você aprendi o valor do trabalho, por mais simples que fosse.

Com você aprendi o valor da família, que é o nosso maior bem.

Com você aprendi o valor da retidão de caráter, da ética e da responsabilidade.

Quero aprender também com você a viver tão longamente e ter o carinho dos meus filhos todos os dias da minha vida, não importa que caminhos percorram, ou a que distância estejam.

Quero, como você, ver meus netos crescerem e me darem bisnetos.

Quero saber, como você sabe, que nada foi ou será em vão, se o amor nos guiar a cada dia da nossa vida.

Parabéns pelo Dia dos Pais e obrigado por estar conosco até hoje.

Beijos.

Saint-Clair

9/8/2009

 

Felicidades mais uma vez, meu velho e querido pai!

Meu pai, Argemiro, e minha netinha, Gabriela (14/8/2011).

2 comentários sobre “AO MEU PAI

  1. Lucir

    Que alegria ver os dois juntos! Como me faz bem saber que a vida te presenteou dessa forma, porque você , meu amigo querido, com certeza merece. Parabéns. Beijo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s