CORRESPONDÊNCIA INUSITADA

O Brasil sempre está a nos surpreender. Pelo menos, quanto a mim, vivo tomando sustos com o país.

Para algumas coisas já estou preparado ou habituado. Se me vierem dizer de mais um escândalo em qualquer esfera de poder, não me surpreendo mais. Se me referirem pedofilia de padres, ou espertezas de pastores a tirar dinheiro de incautos fiéis, também estou preparado. Prisão de policiais bandidos ou liberdade de bandidos com beneplácito da justiça já não me assustam há muitos anos.

No entanto chegou, via Correios, um envelope a mim endereçado, parecido cartão de fim de ano. Coisa, aliás, muito natural, embora já tenhamos até desmontado a decoração natalina, depois de bater caixa em folia de reis e comer broa com café em diversas casas por aí.

Era um cartão muito bem confeccionado, todo azul, com impressão vazada, da SEDRAP.

Não sabem o que é a SEDRAP? Também eu não sabia! Pois vou-lhes dizer: Secretaria de Desenvolvimento Regional Abastecimento e Pesca (Assim mesmo sem vírgula, nem nada. Escrever mal a língua passou a ser obrigatório para o Serviço Público.).

Diz lá o tal cartão: “Estamos ansiosos para 2012”. Após algumas considerações sobre seu próprio trabalho, deseja um ano com novos projetos, novas ideias, etc. e tal.

Aí fiquei matutando, para saber como a SEDRAP me descobriu aqui em casa, para mandar cartão tão mimoso. Fiz muitas cogitações. Quebrei a cabeça. Trabalhei os neurônios.

Comecei assim cogitando. Em primeiro lugar, não tenho barco pesqueiro; não sou proprietário de empresa do ramo. Em segundo lugar, não sou atravessador de crustáceos e frutos do mar. Em terceiro lugar, não sou proprietário de box no Mercado São Pedro,  o famoso mercado de peixes de Niterói. Em quarto lugar, não sou catador de mexilhão nas pedras da Praia das Flechas. Em quinto lugar, até comprei pouco peixe neste findo ano de 2011. E, por fim, em sexto lugar, não há parente, amigo ou conhecido – que eu saiba – que trabalhe na SEDRAP.

Pensei, então, na possibilidade de meu endereço ter sido vendido por alguma dessas lojas onde já comprei a crédito. Mas acabei achando que não haveria a menor relação entre loja de bugigangas eletrônicas e a SEDRAP. E, também, porque não era nenhuma mensagem via e-mail, Facebook, Orkut, etc. Veio em envelope com etiqueta de endereçamento e tudo!

Entrei no banho preocupado, enquanto minha mulher tentava adivinhar o que teria possibilitado tal secretaria de governo me mandar votos tão comoventes para este ano.

Água na cabeça faz o cérebro funcionar melhor e, então, tive a iluminação que explica a simpática atitude da Secretaria de Desenvolvimento Regional Abastecimento e Pesca (Assim mesmo, sem vírgula, repito.): foram as sardinhas fritas que comi, acompanhadas de uma fieira de cervejas, num pé sujo lá da Ilha da Conceição, no segundo semestre do ano passado.

Foi isto! Exatamente isto, que motivou o envio do cartão, e não outra razão mais grave.

Ainda bem!

Obrigado, SEDRAP! Este ano prometo comer um pargo assado no Caneco Gelado do Mário. Então talvez ganhe, no início do ano que vem, mais um cartão tão especial quanto este! Quiçá, melhor!

Valeu!

Aí está o belo cartão que recebi da SEDRAP.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s