7 HISTÓRIAS INTERESSANTES

1. Certa vez, Groucho Marx (1890-1977), comediante norte-americano, afirmou, após ser informado de que ganharia o título de sócio de um clube de Los Angeles:

– Não frequento clubes que me aceitem como sócio.

Groucho Marx (pt.wikipedia.org).

2. Ao ser indagado sobre o lugar mais estranho em que já fizera amor, o humorista carioca Bussunda (1962-2006) respondeu de pronto e sem pestanejar:

-Em São Paulo.

3. Falando sobre a solidão, o escritor carioca Nelson Rodrigues (1912-1980) disse que “a pior espécie de solidão é a companhia de um paulista”.

4. O jornal O Pasquim tinha uma coluna em que fazia comentários, quase sempre desairosos, sobre os lançamentos de discos. Belchior e Djavan estavam lançando novos discos, de uma carreira ainda no início. O comentarista juntou os dois em um comentário só: “Um não sabe fazer música, outro não sabe fazer letra: por que não se juntam os dois?”

5. Era uma exposição de cartuns de humor no Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro, lá pelos anos 70. Após pegar o programa impresso sobre os cartunistas expostos, parti para conseguir autógrafos de cada um deles. Millôr Fernandes não comparecera, por estar adoentado na ocasião. Ao chegar junto ao Jaguar, como sempre ele estava com um copo à mão e houve aquela dificuldade de segurar o impresso, dar o autógrafo e segurar o copo. Dispus-me a segurar o copo para ele, para facilitar as coisas, quando ele, colocando o copo embaixo do braço, junto ao corpo, disse;

– Pra segurar o copo, nem na minha mãe eu confio!

6. Um domingo, após a missa da manhã na igreja de São Jorge que fica próxima, o poeta Olavo Bilac (1865-1918), como de costume, foi sentar-se em um banco do Campo de Santana (atual Praça da República), para ver o movimento dominical. Avistou num banco em frente, distante alguns metros, um casal de amigos e seu filho pequeno, que comia uma fatia de pão. O garoto, assim que reconheceu o “tio”, veio correndo em sua direção e fez-lhe festa nas pernas da calça. O poeta, de imediato, tirou do bolso do paletó papel e caneta, escreveu alguma coisa, colocou-a sobre o banco e se despediu do casal, saindo inopinadamente. O casal, intrigado, foi até o banco e viu escrito no papel:

“Criança meiga e bonita,
Para os pais anjo celeste,
Para os outros uma peste,
Que emporcalha de manteiga,
As calças que a gente veste.”

7. Paula Nei (1858-1897), jornalista, boêmio e poeta carioca, que fazia muito sucesso nos jornais da época, foi a um teatro de revista e ficou sendo paquerado por uma bailarina que participava do espetáculo. Assim que terminou seu número, a bailarina, muito saída, muito dada, foi sentar-se ao lado de Paula Nei. Ele, incomodado por sua presença, olhou para trás e verificou que havia lugares vagos. Então, em alto e bom som, disse a seguinte frase, ao pular sobre as fileiras:

– Atriz atroz, atrás há três!

Um comentário sobre “7 HISTÓRIAS INTERESSANTES

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s