DIETA DE NATAL

Sempre acordo após minha mulher, que é madrugadora. Minha preguiça só me autoriza a sair da cama, em dias normais, após as oito horas da manhã.

Nesta segunda, ela já havia saído para caminhar, quando fui até a cozinha tomar meu franciscano café da manhã: duas torradas integrais, café e algumas fatias de uma saborosa manga palmer.

Parece que faço regime, mas não. É mais ou menos isso que consumo pela manhã. Quando há pão francês, como meio apenas, normalmente sem manteiga, que, embora goste muito, consumo parcimoniosamente para não assanhar o colesterol.

Ao chegar à cozinha, dou de cara, sobre a mesa, com uma dezena de potes da Herbalife, dentre grandes e pequenos, que ela adquiriu há alguns meses, no firme propósito de fazer uma dieta rigorosa para perder lá aqueles quilos que as mulheres estão sempre precisando perder. Tal dieta nunca chegou a termo, como, aliás, todas as demais que ela tentou.

Parece que agora ela ressuscitou a Herbalife.

Ao voltar da caminhada, pediu que fosse à quitanda chique para comprar alguns legumes complementares.

Acho que hoje no almoço o bicho vai pegar.

Sempre que ela começa um regime, também começo. Muito a contragosto, é verdade, mas sem maiores mortificações, porque sei que isto não durará muito.

É que ela não leva adiante nenhum deles. É só o primeiro desconforto surgir, para que ela, em nome de uma fome qualquer, o abandone na primeira oportunidade.

O último, por exemplo, e do qual não participei – fui comer uma dobradinha no Sports Bar da Tavares de Macedo naquele justo momento, para exorcizar qualquer mau-olhado –, começou no café da manhã e terminou no café da tarde:

– Saint-Clair, vá à padaria comprar pão, que não aguento mais de fome. – implorou lá pelas quatorze horas de uma quinta-feira qualquer.

E lá se foi o último, mas não o derradeiro, regime que iniciou.

Hoje está lá ela, na cozinha, preparando alquimicamente o cardápio para o almoço de hoje.

Pode ser que a coisa dure até sexta-feira, quando iremos para Miracema e Bom Jesus passar o Natal, com a comilança de sempre: pernil, bacalhoada, panetones e rabanadas. Fora alguns tira-gostos típicos: chouriço, linguiça, torresmo, pastéis, quibes. Porque também ninguém é de ferro.

Mas que esta é uma época muito esquisita para se começar um regime, lá isso é!

Rabanadas (imagem em quitandinhas.com).

Anúncios

2 comentários em “DIETA DE NATAL

  1. Roberto Bedu disse:

    Herbalife em final de ano! Enganação pura.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s