TRAGÉDIA AMERICANA

(Para Zatonio Lahud Neto, que tocou na fritura.)

Depois de “Beleza americana” e “Noite americana”, cientistas norte-americanos, sem coisa mais importante que fazer, acabaram de descobrir uma tragédia americana: a população ianque do país foi dizimada por vários tipos de câncer há dezenas de anos, vítima de linguiça, bacon e outras carnes processadas. A descoberta, infelizmente, chegou tarde e, portanto, não pôde evitar que a tragédia já tivesse sido consumada.

O povo norte-americano, todos sabem desde o fim da Guerra Fria, das guerras quentes e de outras batalhas menores, era – não é mais! – chegado a um bacon, sobretudo o frito, que é mais mortal que “bala de carabina, veneno estricnina, peixeira de baiano, atropelamento de automóver e bala de revórver”, como o mestre Adoniran Barbosa já havia mencionado anteriormente em pesquisa encomendada por um tal Álvaro e feita no Bairro do Bixiga, em terras da garoa. O que se vê pelas ruas, parques e avenidas daquele imenso país ao norte do Equador é tão-somente uma população de zumbis ou, na melhor das hipóteses e até prova em contrário produzida pelo programa “Alienígenas do passado”, um bando de ETs que assumiu a forma humanoide estadunidense moderna, na versão Calvin Klein.

Aliás, via de consequência, mas ainda necessitando de validação empírica, também a população chinesa foi considerada extinta – vai comer carne de porco assim na Cochinchina! -, aí incluído o venenoso bacon, mesmo à moda Mao Zedong.

Não se livrou da catástrofe alimentar até mesmo a população das Minas Gerais e quiçá a de Miracema e Bom Jesus do Itabapoana. Até estou com receio de ao chegar lá, neste fim de semana, não encontrar viv’alma, nem no botequim do Marquinhos, nem no quiosque do Xapoca. O resto não sei, porque minha pesquisa parou neste exato momento, vez que vou fazer uma farofa de bacon, para acolitar uma feijoada completa, com todos os pertences a que faz jus.

Do túmulo, Stanislaw Ponte Preta manda efusivos cumprimentos aos nobres cientistas daquele país irmão.

Aliás, uma pergunta que não quer calar: como eles ainda estão vivos, para chegar a tão brilhante conclusão?

 

A foto do criminoso (em singledadiving.com).

3 comentários sobre “TRAGÉDIA AMERICANA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s