BENÇA, MÃE!

Mãe,
Por quanto tempo ainda devo seguir teus conselhos?
Já sou bem crescido, mãe,
Já tenho idade!
Por que ainda tenho de ser correto,
Andar na linha,
Respeitar os mais velhos?
Não sujar a roupa,
Ter atenção no que faço,
Não brigar na rua?
Já posso sair sozinho, mãe,
Tenho juízo.
Já uso até calça comprida!
Será que basta
Ou ainda preciso seguir tuas orientações:
Ser honesto,
Respeitar a professora,
Ser dedicado aos estudos
Cumprimentar as pessoas?
Tá bem, mãe,
Vou fazer assim.
Bença, mãe!
Já vou dormir.
Amanhã tenho de levar meu neto à escola.

Van Gogh, Mãe e filho, 1885 (imagem colhida na Internet).

——–

PS: Este poema foi escrito para comemorar o Dia das Mães. Entretanto meu computador entrou em estado de coma duas semanas antes e até hoje não foi curado. Consegui fazer uma cópia do disco em que o poema está registrado. Pelo atraso, peço desculpas às mães, a quem ele é dedicado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s