QUOSQUE TANDEM?

Ouvi ontem no rádio o governador do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, dizendo que a recuperação dos estragos provocados pelas recentes chuvas em Nova Friburgo deverá durar mais de um ano.

Há menos de um ano, para ser rigoroso, desceu sobre a Serra Fluminense, aí também incluídos os municípios de Teresópolis e Petrópolis, uma catástrofe nunca vista no país. O saldo de mortos até hoje é incerto. As obras para a recuperação dos estragos não chegou, talvez, a vinte por cento do que se perdeu. E agora Sua Excelência vem dizer que os estragos menores destes dias não serão recuperados até a próxima estação chuvosa?

Com toda a sinceridade, ao ouvir isso da autoridade máxima do Estado, senti uma prostração como nunca experimentei.

É uma vergonha sem precedentes que nosso governante diga, diante do acúmulo de mais uma tragédia, que o estado fará as coisas homeopaticamente, em pequenas doses.

O que é isto, governador?

Imagem em robertoromero.blogspot.com.

Lembro-me que, a alguns meses do pleito em que ele foi reeleito, em comício naquela cidade serrana, prometia construir a estrada de contorno da RJ-116, a fim de aliviar o tráfego intenso que corta a cidade e seu distrito de Conselheiro Paulino.

Passo com frequência por esta estrada, que foi severamente afetada pela catástrofe do ano passado, e até mesmo as obras de sua recuperação andam em passo de tartaruga.

E agora ele vem dizer que levará mais de um ano para resolver os atuais problemas?

Vai-se deixar acumular problema sobre problema, numa espiral infinda de incúria e desprezo pela dor daquelas populações?

O que sente o governador, verdadeiramente, acerca do sofrimento e do desespero que se abateram sobre os moradores dessa região tão bela do Estado?

Pois eu acho que não sente absolutamente nada! Não está nem aí!

Quando aparece na mídia é porque há um constrangimento.

Mas, creio, está pouco se lixando para os que perderam tudo ou quase tudo.

Há pessoas que, até hoje, não receberam nenhuma ajuda para reconstruir o que perderam.

E isto nos envergonha de uma forma avassaladora!

Até quando?

O JAPÃO NÃO SE EMENDA!

O Japão, aquele país do Oriente que já nos deu muita inveja, definitivamente não se emenda.

Nem bem se curou de tsunamis e terremotos e já está sofrendo com tufões, que matam pessoas, alagam cidades, arrancam árvores, reviram tudo e agora estão indo em direção a Fukushima (Sei não, acho que esta cidade é a Sodoma da era atômica!).

O que é que o japonês quer provar para o mundo, sobretudo para nós brasileiros, este povo inzoneiro, chegado a uma água de coco, a uma sombra e a uma rede balançando à brisa do mar?

Quererá mostrar que sofre estoicamente mais do que nós? Que resiste mais do que nós, aos nossos governos, aos nossos políticos, à nossa história de corrupção e malversação do dinheiro público?

O Japão e sua mania de nos dar lições!

Sei não, mas acho que ele está exagerando. Está pedindo demais de seu povo.

Para tudo há limite, hem, Japão! Até mesmo para a paciência do povo.

Se não parar de tremer, de balangar (como dizíamos lá em Carabaçu), de inundar, de ventar violentamente, pode ser que seu povo saia pelo mundo à procura de paragens idílicas e venha dar em nossas costas.

Segura a sua onda, Japão!

(PS: Malgrado a brincadeira, nosso sentimento de solidariedade ao povo japonês. E que possamos continuar aprendendo com ele.)

Imagem das consequências do tufão Talas (folhadeitalva.com.br).

NATUREZA REVOLTADA

As catástrofes naturais que tão naturalmente andam ocorrendo aqui e alhures dão-me a impressão de que a Mãe Natureza não seja propriamente madrasta, senão que esteja enlouquecida, necessitando de internação imediata.

Ainda que entendidos no assunto digam que esses achaques ocorram com certa periodicidade, a depender do bom-humor dela, a Terra está convulsa, apoplética, neurastênica, para dizer o mínimo.

Seus maus bofes atingem até animais que não têm culpa por seu aquecimento (Não acredito que as flatulências dos bovídeos sejam capazes dos estragos que lhes são imputados.), por seu desequilíbrio, e não só os humanos, esses seres desumanos que pensam ser superiores a ela e intervêm em suas entranhas, em sua epiderme, sem esperar reações adversas.

Aí, vem ela, como o motorista do lotação abarrotado que dá umas freadas bruscas, para arrumar os passageiros. Seus sacolejos, no entanto, não só tentam rearrumar a carga sobre as placas tectônicas, como eliminam alguns minúsculos seres e reorientam a geografia, baixando montanhas, desviando rios, escavando vales.

Assim, sofre o Sul com excessivas águas de inverno, o que, convenhamos, é inusitado. Sofrem o Sudeste e o Centro-Oeste com sequidão extrema, que leva a queimadas devastadoras. Faz calor extremo em terras frias e frio intenso em terras quentes. Até mesmo rebarba de terremotos é sentida em terras antes estabilizadas por milhões de anos de sonolência.

Nossa Mãe Natureza está precisando de uns tempos no sanatório do Universo, para ficar um pouco mais zen. Em algum lugar para lá de Órion, para lá da Nebulosa Cabeça de Cavalo.

Nebulosa Cabeça de Cavalo, do Cinturão de Órion.

TERREMOTO NOS EUA

A localização no mapa do terremoto (noticias.terra.com.br).

Bin Laden, lá no Além, mexeu seus pauzinhos e conseguiu descolar um terremoto terrorista nos Estados Unidos da América (o País Sem Nome, segundo os integralistas brasileiros*), causando danos morais e materiais aos ianques.

Conforme relatos de diversos norte-americanos, o fantasma do ex-famoso ex-terrorista, atualmente papá de peixe, foi visto às gargalhadas, enquanto a terra tremia.

Não bastasse a crise econômica que assola os irmãos do norte, agora mais essa!

Eu mesmo, morador de um país que anda rindo das crises internacionais com assustadora soberba, já estou achando que isto é síndrome de pobreza: não há economia de desgraça para pobre. Uma vem sempre após a outra.

Mas isso é bom para eles aprenderem com quantos paus se faz uma cangalha.

(*Integralista era um bando de direitista brasileiro sem o mínimo senso de humor, mas que conseguiu, milagrosamente, criar esse epíteto bem-humorado para os EUA, que, a rigor, não têm nome.)

É TIRO PRA TODO LADO!

1. FOI NOTICIADO que o técnico da seleção principal, Mano Menezes, foi até a seleção sub-20 de futebol, que disputa o mundial na Colômbia, para motivá-los. Fico pensando em como um cara com aquela voz monocórdia, sem nuances, sem alterações, pode motivar alguém a não ser a um sono profundo. Mano não consegue motivar seus comandados da seleção de cima, como irá fazê-lo com os da seleção de baixo? Receio que a coisa desande!

2. ESTÁ NA CAPA DA VEJA, que está na banca esta semana, a foto da cara estanhada (como dizíamos em minha terrinha nos idos dos sessenta) do Ministro da Agricultura, ao lado de uma sequência de frases desairosas sobre sua vida pública. Aí fico pensando (penso muito, não é mesmo?) se alguém teria coragem de comprar um cavalo do sr. Rossi. Isto era a medida da confiabilidade no outro (outra vez, lá pela minha terra). E o mais incrível de tudo é que o sr. Rossi vem praticando esses atos delituosos há tempos, em vários órgãos e empresas públicas. Então, como castigo, ganhou o cargo de Ministro.

Veja a cara do cara na capa da Veja (veja.abril.com.br).

3. O TREM DA ALEGRIA do Ministério do Turismo tem mais cobrador do que passageiro. A quantidade de gente que cobra propina é equivalente ao de visitantes à Catedral de Brasília. Não sei se vocês notaram, mas é corrupção para todo o lado, justamente o que pretende a política para o turismo no Brasil: atingir todos os rincões desta pátria maravilhosa, ensolarada e assolada por ladrões de todos os tipos e todas as estirpes.

4. A SERRA FLUMINENSE continua desmoronando sete meses depois da catástrofe das chuvas de janeiro. Quanto mais se reviram os escombros materiais mais escombros morais afloram. Posso até apostar que só morreram os justos, aqueles que a religião diz que são os eleitos de Deus. Não deve ter ido nenhum canalha, nenhum calhorda, nenhum f-d-p. Todos continuaram vivos para se aproveitar da tragédia e rirem na cara dos que, embora vivos, tiveram seus bens e seus parentes arrastados encosta abaixo.

5. ONTEM FOI O DIA DOS PAIS e meu jornaleiro, dando notícias do seu dia, disse que tudo sai dele, mesmo a sandália de dedos que ganhou. Mas conheço alguns pais que, façam-me o favor!, melhor seria que não tivessem a arma azeitada para fazer filho. Eu mesmo conheço para mais de cinco que não valem uma certidão de nascimento. É que pai é gente e há uns homens aí que não honram a própria cueca que vestem. No entanto, devo confessar que felizmente a maioria que conheço é de gente ética, trabalhadora, amorosa, homens que dão orgulho à raça. Essa raça que as mulheres costumam chamar de traste.

6. O ASSASSINATO DA JUÍZA Patrícia Accioli é sintomático de uma escalada na audácia do crime organizado. Um país em que o crime organizado começa encastelado em Ministérios não pode esperar outra coisa dos marginais. Ou tomamos a rédea de nosso destino, ou estaremos por conta da escória da sociedade. No jornal O Dia de hoje, o desembargador Ciro Darlan publica artigo contundente, em que responsabiliza diretamente o atual e o anterior presidentes do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, por negligência. Em 260 anos de Justiça no Estado, é a primeira vez que isto ocorre em território fluminense.

PENSAMENTOS BEM-PENSADOS VII

Imagem em quin-teto.irreverente. zip.net.

Continuamos com a saga filosófica empreendida por minha cabeça de aposentado, que tem muito tempo para pensar bobagem.

Como há vários autores de livros aí cheios de bobagens presunçosas, ponho-me também a presumir máximas, mínimas e médias, assim como as ondas hertzianas da radiodifusão nacional.

Espero, mais uma vez, que se possa tirar desses pensamentos que, confesso, levei muito tempo para elaborar uma lição para a vida prática, senão para a galhofa e o motejo.

Ei-los aí.

  1. Sabe-se que Salvador era Dali, que o Leonardo da Vinci e que o Pepino di Capri. Mas de onde é mesmo que eu te conheço?
  2. No futebol feminino, toda vez que uma jogadora mata a bola no peito, a bola morre apenas metaforicamente, embora o peito seja peito mesmo.
  3. Numa viagem de metrô ou trem no horário de pico, aquele que tira o pé do chão parece que, de imediato, entra em estado de santidade: fica flutuando até o fim da linha.
  4. Minhoca distraída vira comida de peixe.
  5. Será que alguma vez na vida Catherine Deneuve, Demi Moore ou Juliana Paes tiveram qualquer incômodo intestinal?
  6. Assim que o mago imortal morrer, seus maktubs terão vida curta. É o que está escrito.
  7. Para o palhaço, não há a menor graça em fazer graça de graça.
  8. A lei da seleção natural – descobri – não é politicamente correta: só prejudica os mais fracos. Os fortes continuam com sua vida refestelada.
  9. Desde que Galileu foi condenado por dizer que a Terra não era o centro do Universo, passei a não acreditar na ciência. Na religião, já não acreditava desde os tempos de Zoroastro. E na justiça, desde o episódio de Caim e Abel.
  10. O raio que cai duas vezes no mesmo lugar assim procede apenas no intuito de debochar da sabedoria popular.
  11. Tenho alma de mineiro: quanto a atolado, prefiro a vaca ao caminhão.
  12. Boiada pouca, meu filé à Osvaldo Aranha primeiro.
  13. Buenos Aires até que é uma cidade interessante, pena que se localize na Argentina.
  14. Ele é conhecido como Francisco Cuoco, mas faz merda como qualquer um.
  15. No Rio Grande do Sul, ultimamente só há duas estações do ano: na primeira, as prefeituras decretam estado de emergência por falta de chuva; na segunda, por excesso. E no ano seguinte o Ministério Público instaura inquérito para apurar desvio de verbas.

CATÁSTROFE MAIOR QUE AS CHUVAS DE VERÃO

O noticiário noturno de ontem das tevês informou que o Ministério Público Federal apresentou denúncia contra o prefeito de Nova Friburgo e um de seus secretários, sob alegação de malversação de recursos destinados a fazer face aos estragos produzidos pela catástrofe de janeiro deste ano na Serra Fluminense.

A justiça (vou continuar a grafar com minúscula) não aceitou a denúncia, apesar de evidências, e os suspeitos continuarão em seus cargos refesteladamente.

Ora, meus amigos, bastaria apenas a suspeição sobre a conduta da autoridade, para que isso significasse o opróbrio de uma pessoa decente, ou pretensamente decente, ou qu tenha, nem que seja, um verniz de vergonha na cara.

No entanto, com esta decisão judicial, fica no ar a catástrofe maior, superior à causada pela natureza enfurecida em janeiro de 2011: o desvio de recursos para atender aos que sofreram.

Se não houve nenhuma obra de vulto para recuperar os estragos causados pelo temporal, há essa obra humana desclassificante: autoridades se aproveitam do dinheiro enviado em benefício próprio.

A um povo com um mínimo de vergonha na cara, bastaria um centavo desviado de finalidade como esta, para que tais cidadãos (se é que sejam cidadãos) fossem fuzilados em praça pública.

Às vezes, dá uma vergonha danada de ser brasileiro!

Nova Friburgo (abobado.wordpress.com).

EVITE TRAUMAS IRREVERSÍVEIS EM MENORES IMPÚBERES

Recebi por e-mail a foto abaixo e não pude deixar de dar boas gargalhadas pela expressão de horror estampada na cara do menino.

A foto é sensacional, mas revela aqui um problema sério: o naturismo desenfreado da terceira idade pode causar traumas irreversíveis na primeira idade. Não estou nem pensando na Bíblia, quando recomenda que os mais velhos não sejamos motivos de escândalos para os mais novos.

É esta a sensação que tive, depois que controlei o ataque de risos.

Espero que me perdoem o mau gosto da foto, mas a cara do menino é muito boa.

Recebi esta foto por e-mail, então vai sem créditos mesmo.

NOVA DENÚNCIA CONTRA MEMBRO DO GOVERNO DILMA

Aqui da minha trincheira democrática de denúncia das coisas erradas dos governos de todos os níveis, vou abrir minha bateria antiaérea contra mais um absurdo do governo Dilma.

Já conseguimos fazer com que o linguinha Palocci apeasse da Casa Civil, a poder de muita denúncia e fofoca. É o que me parece – pois não? –, já que ele jura de pés juntos que fez tudo dentro da ética e da honestidade. Lá no país dele, evidente!

Quero agora iniciar uma campanha solerte, difamante e mal-intencionada contra outro membro do seu staff. Aliás, não propriamente contra o político, mas, antes, contra a sua cabeleira.

Gente, o que é a cabeleira do Ministro das Relações Sexuais, ou menor, Relações Institucionais Luiz Sérgio? Vejam só aí abaixo.

Comparem a flora capilar do ministro à direita com a do deputado à esquerda (pelo menos na foto) (em falario.com.br).
Comparem a flora capilar do ministro à direita com a do deputado à esquerda (pelo menos na foto) (em falario.com.br).

É um abuso de cabelo, num momento de crise capilar sem precedentes em todos os quadrantes da Terra. O homem é um desabusado! Fez crescer seu patrimônio capilar em mais de vinte vezes, nos poucos anos em que está na vida pública. E isto, contra todas as evidências, uma vez que o normal é todos ficarem calvos.

Não é possível que nos calemos diante de tal despropósito. Ele tem de vir a público e explicar de onde tirou tanto cabelo, não só no alto da cabeça, bem como na lapa do beiço. Vai ter cabelo assim lá na Fiszpan!

SOBRE O FIM DO MUNDO

Ivonil Ferreira mandou-me texto extenso a respeito da postagem do dia 1/6 , que, em tom humorístico, indagava acerca da provável data do fim do mundo.

O texto tem lá sua argumentação.

Quero, no entanto, nesta breve postagem, em primeiro lugar, agradecer ao Ivonil Ferreira pela leitura de minhas bobagens e, em segundo lugar, dizer-lhe que eu tenho absoluta certeza de que o mundo vai acabar. Apenas não estou minimamente preocupado com isso.

Por outro lado, tenho também absoluta certeza de que ninguém sabe quando isso se dará. E todos aqueles que se encasquetam com isso estão perdendo seu tempo, pois, quando chegar ao fim, não haverá ninguém para dar razão a quem, possivelmente, tenha acertado. Todos teremos virado fumaça.

Para os que erram, contudo, há um bando de debochados como eu, para jogar-lhes na cara sua tolice pretensiosa.

Obrigado, Ivonil, e não me queira mal. Sou apenas um brasileiro comum, querendo fazer alguma graça nesse país em que quase tudo é muito bem pago. Isto quando não há algum desvio de dinheiro no meio.