CONSELHOS, OBSERVAÇÕES E ELUCUBRAÇÕES INÚTEIS

1. A melhor forma de desenformar um bolo de uma forma quente é desta forma: coloque a forma quente numa forma de forma maior em que se coloca água, de forma que a forma quente entre em contato com a água fria na forma até então vazia, até que se forme uma camada fria na forma que enforma o bolo. Desta forma você pode desenformar o bolo. Fácil assim!

2. O Brasil é um país tão engraçado, que dá oportunidade a que um partido assuma o governo com o compromisso de moralizar a coisa pública e saia mais desmoralizado do que entrou. E o seu sucessor, com o mesmo propósito, segue na mesmíssima batida.

3. Na crise brasileira, o fundo do poço é tão mais profundo, quanto mais a crise se aprofunda, de modo que, um dia, ainda vamos dar no Japão.

4. Gato tem sete vidas apenas para aporrinhar várias gerações de seus donos.

5. Todo bichano é bicho, mas nem todo bicho é bichano.

6. Algumas igrejas aí produzem tantos milagres por dia, que até Deus desconfia.

7. Contrariamente ao que seria de se esperar, no Jalapão não há jalaponês.

8. Já disseram alhures que a vida pública no Brasil é uma privada. Que merda!

9. Vários homens públicos brasileiros estão mais desmoralizados do que a mãe que o vulgo lhes atribui e cuja vida já é bastante desmoralizada.

10. Diz-me com quem fazes aliança política e te direi quem te trairá.

11. O objetivo básico de todo governo é recolher impostos. Todo o resto é acessório.

12. A crise econômica brasileira chegou a tal ponto, que levou os dirigentes da CBF a inventarem, para a Copa do Brasil deste ano, o empate que ganha jogo. Aí se economiza a partida da volta.

13. Contrariamente ao que preceitua o texto bíblico, os últimos continuarão lá na rabeira da fila.

14. Pelo menos, pelo que a ciência ictiológica sabe, a traíra não trai, o lambari não lambe e o sairu não sai. Já o pacu…

15. Os coveiros podem fazer quantas greves quiserem e puderem, que nós vivos continuaremos sem lhes dar o menor apoio: continuaremos a morrer do mesmo jeito.

16. Aprendi a ser uma pessoa conformada. Na infância sempre ouvia dos adultos, diante das dificuldades, que desgraça pouca é bobagem. Até hoje continuo acreditando nisso.

17. O único abatimento concreto no Imposto de Renda é o do contribuinte ao fazer a declaração anual de ajuste.

18. Sempre que uma dúvida o assaltar, faça um BO numa enciclopédia, ou no Google.

19. Bem-aventurados os que ainda podem comer uma feijoada completa, sem necessidade da posterior e salvadora dose de bicarbonato de sódio.

20. Todas as minhas taxas estão controladas. Menos IPTU, IPVA, ICMS, IR, IPI, ITR   , IVA e até uma tal CCCCN (Contribuição à Comissão Coordenadora da Criação do Cavalo Nacional).

21. Um crime tripamente qualificado é produzido pelo vatapá estragado que produz o chamado piriri-gangorra.

22. O que complica a vida moderna é a quantidade de especialistas dando dicas de como bem viver. Ninguém consegue acompanhar tantas boas orientações!

23. Nunca se vê, em campanhas promocionais de clínicas de beleza, uma pessoa idosa que tenha rejuvenescido. Sempre há uma bela jovem, de corpo escultural, a garantir a eficiência do tratamento de que ela jamais fez uso.

24. Para piorar a solução de qualquer problema, é só instituir uma comissão de alto nível para resolvê-lo.

25. As grandes invenções da humanidade sempre foram obras solitárias de uma única mente brilhante. O que não funciona direito foi bolado por um grupo de trabalho.

26. Tenho verdadeira ojeriza a conselhos e orientações edificantes. Não é que eu saiba errar sozinho. Até para isso preciso de ajuda. Mas é como dizia meu primo: se conselho fosse bom, seria vendido.

 

Imagem relacionada

Abrahan van der Hecken, O filósofo (1635). Museu do Prado, Madri.

Anúncios

ANÁTEMAS, ESCÁRNIOS E IMPRECAÇÕES

 

*Desfez-se a antiga aliança entre PT e PMDB. Agora os novéis opositores acusam-se mutuamente pelos erros na condução da administração federal. É um dos casos brasileiros de que os dois opostos estão abarrotados de razões.

*O PMDB desembarcou do governo federal. Nos estados e municípios, as alianças continuam as mesmas. Há sinceridade nisso?

*A coisa só não ficará mais feia com o Temer na presidência, porque a primeira dama é bonita que só ela.

*Vasco e Flamengo empataram novamente. Bem feito para os dois!

*O futebol brasileiro, depois de experimentar alguns anos de encantamento – entre 1958 e 1970 –, entrou definitivamente na Era Dunga, mesmo ainda com o Scolari na última Copa do Mundo.

*Solicitado pela professora a construir uma frase com três advérbios, Joãozinho cunhou esta: Sinceramente Cunha atualmente somente.

Diferente do que pensam os brasileiros acerca dos poderes da república, o único poder hoje entre nós é o do Aedes Aegypti.

*Qualquer decisão jurídica, por mais imparcial que seja, só presta se for a meu favor. Caso contrário, é deslavada injustiça.

*Durante anos, convivi com um amigo de trabalho que apoiava a ditadura militar, enquanto eu era contrário. Nunca deixamos de ser amigos. Só não tocávamos no assunto, que era um ponto de provável atrito entre nós. Em tempo: este meu amigo é uma das pessoas mais éticas que conheço e de uma lealdade inquestionável.

*Gostava mais da política que se fazia sem sectarismos e sem ódios. No fundo, todos os partidos políticos pretendem mesmo é o poder e sua manutenção.

*Nossa atual situação já estava prevista no título de uma antiga peça teatral de autoria de Ferreira Gullar e Oduvaldo Vianna Filho: Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.

*Há cerca de quinze dias, foi estendida, na grade da Praça Getúlio Vargas, em Niterói, uma grande faixa com fundo preto, letras garrafais brancas, com o a frase: NO BRASIL OS PARTIDOS POLÍTICOS SÃO FACÇÕES CRIMINOSAS. Havia, no canto inferior esquerdo, um número de protocolo do TRE-RJ, como que a autorizar sua exposição. Obviamente que, embora todos saibamos que nossos partidos estejam contaminados, a supressão deles necessariamente só ocorreria em uma ditadura, o que, convenhamos, é ainda pior do que o estado atual.

*A democracia é o único sistema político em que eu posso falar os maiores absurdos e não ser preso por isso. Nas ditaduras, até mesmo – e sobretudo – as verdades são perigosíssimas para a saúde do falante.

*Aquela cara de satisfação disfarçada que o Michel Temer tem apresentado com mais frequência em público não é porque esteja pretendendo a presidência. Aliás, longe dele fazer essa tramoia com a antiga aliada. É apenas para escarnecer de quem o inveja pela provável primeira dama.

*Maldito o que vem em nome do corruptor!

*Tenho certeza de que alguns beneficiários ilícitos da grana da Petrobras lamentam muito o fato de que o Pré-Sal não produziu fortemente antes da Lava Jato.

*A corrupção no Brasil se tornou tão corriqueira, que, em Fundão-ES, até auxiliar administrativo desviava fraldas geriátricas. Isso só poderia dar merda. Como deu, aliás!

*O Estado do Rio de Janeiro reinventou a velha situação estou-dentro-estou-fora, tão conhecida de todos. O Picciani pai, presidente da Assembleia fluminense, rompeu com o governo Dilma. O Picciani filho, ex-atual-futuro-ex-líder do PMDB na Câmara, apoia Dilma. Ambos são do PMDB.

 

 

Imagem em pt.dreamstime.com

BRASIL DE CABO A RABO (III)

Continuando nossa saga de maledicência, escárnio e maldizer dos brasileiros, aí vão mais dez frases de (d)efeito, segundo a minha visão deturpada de nossa pátria mãe gentil e seus asseclas. Devo dizer aos queridos leitores que O Boca do Inferno, Gregório de Matos, muito mais já disse, em piores termos e há muito tempo. Portanto tenho precedentes que me justificam. Aliás, sou até soft, se é que me entendem.

  1. Em Mato Grosso do Sul há norte ou o estado é desnorteado?
  2. Falta alguma coisa na identidade de Mato Grosso, em comparação ao vizinho do sul.
  3. Rondon rondou Guaporé por tanto tempo que acabou descobrindo Rondônia.
  4. No Pará os paraenses não param nem para descansar.
  5. Nas Alagoas, alagoano distraído se afoga até em Cacimbinhas.
  6. Paraíba já era moderna desde Luiz Gonzaga: “Paraíba masculina, muié macho, sim, sinhô!”.
  7. São Paulo vive entre as chuvas copiosas e as secas sequiosas.
  8. O Rio de Janeiro, além de lindo e maravilhoso, é um horror nos outros quesitos do desfile.
  9. De charque em charque, o gaúcho tem seus achaques.
  10. Em Tocantins, se toca mais boi que instrumentos afins.

Até a próxima!

 

Gregório de Matos Guerra (ilustração em pt.wikipedia.org).

BRASIL DE CABO A RABO (II)

Estou dando sequência à série de frases sobre os mais distintos brasileiros. Espero que não arranje inimizades interestaduais e regionais. Logo eu que gosto tanto de andar por todos os lados deste país de dimensões sentimentais!

Aí vão mais dez observações sobre os brasileiros.

  1. Todo carioca é fluminense; alguns, porém, são botafoguenses, vascaínos, flamenguistas. Até americanos há!
  2. No Ceará, não tem disso, nem daquilo; tem é Padim Padre Ciço; mas também tem Cid, mas tem Ciro. E olhe lá!
  3. No mapa do Brasil, o Piauí é um odre de couro de bode, repleto de piauienses.
  4. Em Brasília, vale o neoditado: Aqui se faz, aqui se paga a propina.
  5. No Maranhão, se há sarna não sei, não é, Sarney?
  6. Creia: o Acre existe, apesar dos acreanos incréus.
  7. Roraima, para os jornalistas da Globo, é apenas uma questão de prosódia.
  8. Desde que Sarney se elegeu senador pelo Amapá, o estado vai de mal a pior, sem parar.
  9. Goiás está afundado em superprodução de duplas sertanejas.
  10. Um jeito besta de ser do contra em Sergipe é ser gente.

Até a próxima!

 

Mapa do Brasil de 1822, ano da Independência (imagem em bloguito.com.br).

BRASIL DE CABO A RABO (I)

 

Às vezes, meu cérebro nervoso (Reminiscência de um samba-canção com Nelson Gonçalves*, que ouvia no serviço de alto-falantes do Nark Pontes, lá em Carabuçu.) se dá o trabalho de pensar bobagens. É porque sei que não vou consertar o mundo, então me perco em ficar bolando abobrinhas. Então aí estão algumas observações acerca do Brasil e dos brasileiros. Estas são as primeiras.

  1. De churrasco em churrasco, o gaúcho enche o rabo.
  2. Norte: do boto tucuxi ao pato no tucupi, sem chegar ao Piauí.
  3. Paulista quatrocentão, trombadinha tresoitão.
  4. Capixaba: moqueca, café e jaca.
  5. No Nordeste, cabra da peste come bode.
  6. Se não fosse o xinxim de galinha, baiano não escorregaria no quiabo.
  7. Em Pernambuco, ossobuco é chambaril.
  8. Qualquer espertalhão de Floripa é manezinho da ilha.
  9. No Paraná, Pará não há, nem Lago Paranoá; nem nunca haverá.
  10. Mineiro que não gosta de queijo minas, pão de queijo e farinha de mandioca perde direito à herança.

Abaixo, o mapa do Brasil, com os nomes dos estados traduzidos para o inglês, conforme publicado no site norte-americano MoveHub, por ocasião da Copa do Mundo de terrível memória. Os nomes foram traduzidos quase ao pé da letra, inclusive aqueles de origem indígena. (Ilustração retirada de blogdojuca.uol.com.br).

 

 

———-

Revolta, composição de Raul Sampaio e Nelson Gonçalves. Caso queira conhecer a música, clique aqui.

NEIL YOUNG, A AUTOBIOGRAFIA

Terminei de ler A autobiografia, de Neil Young.

Neil Young é um dos meus músicos prediletos. Tenho vários CDs dele e com ele, e alguns DVDs. Quando vi seu livro numa banca da Saraiva, comprei de imediato. Li-o vagarosamente.

Não é um livro em registro cronológico. Ele escreve ao sabor do momento, sobre o que faz naquele instante e as memórias que o assaltam. Fala, sobretudo, de sua relação com a música, os músicos e o meio musical. Mas também fala de projetos paralelos que desenvolve com uma teimosia gigante, como o do automóvel movido a energia elétrica e um novo sistema de gravação e veiculação de música – PONO –, que reproduza com mais fidelidade o que o artista cria, a fim de que o ouvinte possa chegar o mais próximo possível da experiência do autor. Fala também de si, de seus amores, de sua família, de seus filhos e muito dos seus amigos.

Transcrevo, a seguir, alguns parágrafos de seu livro, para que o amigo leitor possa ter dele uma amostra.

1. “Cerca de vinte anos mais tarde, em meados dos anos 1990, [David] Briggs e eu estávamos fazendo um álbum. Ainda chamo de ‘álbum’ porque era isso o que eu fazia. Eu não faço CDs nem faixas de iTunes. Faço álbuns. É exatamente isso. Chame do que quiser. Lembro como eu odiava o shuffle, recurso aleatório do iTunes, porque fode com a sequência que eu passei horas elaborando. Na minha opinião, faixas independentes e aleatórias são um horror. Podem me chamar de antiquado. Faço álbuns e quero que as canções se combinem para criar um sentimento. Faço de propósito. Não quero  as pessoas ‘beliscando’ os álbuns. Gosto de escolher os singles. Afinal, essa merda é minha.” (p. 334)

2. “Conheci Linda [Ronstadt] no Troubadour, nos anos 1960, quando ela cantava com os Stone Poneys. […] Era um terremoto. Ela estava sempre no topo, mas agora Linda se tornou um tanto reclusa. Parou para criar sua família e viver uma vida ‘normal’ no mundo real. Uma vez, ela usou ‘mundo real’ para me descrever. Disse a Nicolette [Larson] para não se envolver comigo porque eu não vivia ‘no mundo real’! Não importa, porque Nicolette e eu tivemos um relacionamento firme durante algum tempo. Não durou muito, no entanto. A vida é assim.” (p. 338)

3. “[…] Toquei ‘Sweet home Alabama’ naquele show, e o pessoal adorou. (Minha canção ‘Alabama’ mereceu a chance que Lynyrd Skynyrd me deu com seu ótimo disco. Não gosto da letra quando ouço hoje. É acusatória e condescendente, não inteiramente elaborada e muito fácil de ser interpretada de forma errada…)” (p. 341)

4. “Uma vez, no auge da tensão em Sunset, pouco antes de Stephen [Steels] escrever seu clássico ‘For what it’s worth’, fui parado e posto em cana por não ter carteira de motorista. Meu amigo Freddy Brechtel, um cantor sem banda, estava comigo e levou o carro de volta até minha casa. Fui preso na subestação de Hollywood, bem ao pé do morro onde ficava a Whisky. Quando eu estava na cela, um dos guardas me chamou de hippie fedorento. Ele usava óculos de aro de chifre. Gritando de volta, eu disse que ele parecia gafanhoto. Ele entrou na cela e me deu uma bruta surra. Socou minha cara e me chutou pelo chão. Foi traumatizante.” (pp. 348/349)

5. “Eu mesmo já não bebo mais, estou indo em frente. Não afirmo que não vou beber nunca mais. Não estou fazendo nenhuma promessa, mas não acho que sou um bom bebedor. Alguns caras são ótimos, bebem, contam piadas, riem até cair e ficam engraçados como o diabo. Enterramos um desses na semana passada. A vida não passa de um grande teste; se você tentar demais, fracassa. Se você não tentar muito e fracassar um pouco, mas se divertir, talvez já seja um sucesso.” (p. 362)

6. “Meu cérebro tem um monte de coisas a mais que só da para ver numa ressonância magnética. Não sei o que é, ou o que não é, mas conheço a história de meu pai. Ele era escritor e ficou doido, demente. Que diabo era aquela porra nevoenta no meu cérebro? Gostaria de nunca ter visto aquela merda. De qualquer modo, sempre me aconselharam a parar de fumar maconha, e eu parei. Na verdade, escrevi esse maldito livro inteiro, direto. Certamente é um dilema.” (p. 378)

Notas finais:

  1. A gravação de Words (Between the lines of age), no disco Harvest, seu quarto álbum solo, de 1972 pela Reprise, tem um dos mais belos solos de guitarra, no meio da música. Sua guitarra começa a gemer baixinho ao fundo, até gritar desesperadamente no primeiro plano da música. Aliás, o álbum é, na minha opinião, um dos melhores – senão o melhor – de sua carreira.
  2. A polêmica que parecia existir entre Neil e a banda de Alabama Lynyrd Skynyrd, por causa da música Alabama do bardo canadense, parece que nunca ocorreu, como se pode observar na menção rápida, que destaquei no item 3.
  3. YOUNG, Neil. A autobiografia. São Paulo, Globo Livros, 1912. [Tradução Renato Rezende e Helena Londres].

A capa do livro.

NOTÍCIAS COMENTADAS VIII

Imagem em eleitorabrasil.com.br.

Não preciso ler todo o texto das notícias, em destaque nas manchetes, para saber a m*rda que elas revelam.

Aqui estão algumas delas.

  1. Dilma diz que aliança com PMDB terá ‘vida longa’ e elogia Temer” (Folha de São Paulo online, 2/3/1/13) – Quando o interesse fala mais alto, elogia-se até apoio do Demo. A Presidente (Não escrevo Presidenta nem que a vaca tussa!) elogiaria o mais reles dos políticos, desde que ele estivesse ao seu serviço. Por meu lado, elogiaria a mulher do Milton Temer, que é uma teteia e não, ele, que é um coroa muito chegado a múmia.
  2. Chanceler pede que deixem Chávez em paz durante tratamento” (Folha de São Paulo online, 2/3/1/13) – Não entendi a solicitação do chanceler. Depois de morto, Chávez terá a paz eterna. Portanto, agora, talvez fosse bom um pouco de bulha, de movimento. Depois ele vai querer que o povo venezuelano se manifeste. Aí será tarde demais: o de cujus será cadáver!
  3. Eike Batista quer ser presidente do Brasil.” (O Dia online) – Também quero e não fico espalhando nos jornais. Tenho a impressão de que Eike descobriu que, para salvar suas empresas em decúbito dorsal, ser presidente do país dá o maior pé.
  4. Confira a homenagem ao Galinho de Quintino ’60 anos Zico Rei’” (O Dia online) – Não vou conferir. Não tenho o mínimo interesse. O Galinho só fez pelo seu time. Não sou do seu time, portanto quero que ele se lasque. Estou aborrecido, porque, logo mais, vamos enfrentar, mais uma vez, aquele time lá da Gávea, e Osvaldo de Oliveira não ganhou nenhum clássico contra nossos adversários do Rio de Janeiro. Galinho, vai-te catar!
  5. Desde a crise de 2008, só o setor de serviços cresceu mais que o PIB” (Estadão online) – Mentira! Muita coisa, ou melhor, cresceu mais que o PIB. O PIB, apelidado de PIBinho, é menor que pênis de japonês. Então, tudo cresceu mais que ele. O que, aliás, não é vantagem nenhuma. Até o nariz do Mantega cresceu mais que o PIB.
  6. Prédio em obras na Liberdade é demolido após desabamento e morte” (Estadão onine) – Alguma coisa está errada na manchete. Se o prédio desabou, o que ainda existe para ser demolido. Paulista tem cada uma!
  7. Funcionários de hospital militar são proibidos de falar sobre Chávez” (O Globo online) – Vai que eles falem que o homem está doente. E, o pior, doente de uma doença ruim. Aquela! A maldita! A inominável. Deus que me livre! Ou o realismo bolivariano! Alguém tem de ser responsável.
  8. Bento XVI entrega Anel do Pescador como sinal de fim de pontificado” (O Globo online) – Ufa, que susto! Com essas notícias sobre homossexualismo, pensei que fosse outro anel. Ainda bem! Acho que Bento seja uma pessoa decente.
  9. Cientista brasileiro liga cérebros de dois ratos pela internet” (O Globo onine) – Como diríamos em Carabuçu, grandes merdas! No Congresso estão ligados os cérebros de dezenas, talvez centenas, de ratos, sem o auxílio de nenhum cientista. Tudo feito por populares, ao colocar seus votos nas urnas!
  10. Estados Unidos libertam mais de 2 mil imigrantes ilegais para cortar gastos” (O Globo online) – A situação está grave! Se até o Grande Irmão do Norte começa a cortar custos com a manutenção de presos, é sinal de que a corda está apertada. Depois, esses imigrantes podem ir fazer o trabalho pesado que os norte-americanos se recusam a fazer. Então o país economiza de um lado e ganha do outro.