JURUJUBA: BARCOS ETC.

Hoje pela manhã, resolvi voltar a Jurujuba, bairro de pescadores de Niterói, que tem sempre uma paisagem interessante, com seus barbos atracados na enseada. Estou ainda experimentando a nova câmara fotográfica que adquiri. Confesso que não a conheço bem, mas só se conhece um equipamento, após a leitura do manual, com a experimentação. Aí estão algumas das fotos que fiz e os efeitos que consegui aplicar ao que os olhos viam. Espero que gostem do resultado.

Bom domingo a todos!

048 060 075 087 089049

PAISAGEM COM O MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA DE NITERÓI

Das diversas fotos que fiz do MAC – Museu de Arte Contemporânea de Niterói, selecionei estas abaixo, tomadas no primeiro dia deste ano. Nelas está sempre incluída a paisagem. Ou, ao contrário, o MAC está sempre incluído nela. Não são as primeiras, assim como não serão as últimas. Também, quem mandou o Niemeyer ter projetado tão belo edifício sobre a belíssima Baía da Guanabara!

279199208222264272280229

MAC À NOITE

O MAC – Museu de Arte Contemporânea de Niterói -, obra do grande Oscar Niemeyer,  é tão fotogênico quanto uma bela mulher, com suas curvas insinuantes a desafiar nosso olhar. Não importam o momento, a parte do dia em que o observamos, nem mesmo o ponto de onde se o observa. Ele pode nos revelar novos ângulos, novas possibilidades, estando só em toda a sua imponência, ou dialogando com a paisagem magnífica em que se insere. Ontem estive exercendo este meu direito vital – o olhar -, enquanto possível, para tentar descobrir outras faces deste ícone da cidade de Niterói. Aí estão algumas das fotos que tomei, ao cair da noite. Espero que gostem Para ampliar, basta clicar sobre a foto.

 

136150141157151164159144

SINAIS DE MAIO

São cantadas as tardes de maio, assim como as manhãs de setembro. Em ambas, há uma luz especial, que propicia fotos mais claras. As manhãs de maio são um tanto nevoentas. Por isso estou trazendo aqui para os amigos leitores algumas fotos que fiz na Praia de Icaraí, há alguns dias.

001 007 031 036 043

 

VARIAÇÕES DE UM PÔR DO SOL DESCONCERTANTE

O pôr do sol deste último domingo foi, no mínimo, desconcertante. Em postagem no Facebool, até o taxei de bafônico, mesmo sem saber a que ponto chega a carga deste adjetivo popular. Mas me pareceu assim. Das muitas fotos que fiz – e fotografia é, etimologicamente, registro da luz – da variação de luz do finzinho da tarde, trago para os amigos leitores as seis abaixo, para que notem como a natureza, quando está possuída, é acachapante. Para o bem e para o mal! (Cliquem na foto para ampliar.)

025 041 044 049 067 115