METENDO O BEDELHO AONDE NÃO SOU CHAMADO

1. A SITUAÇÃO CIPRIOTA – Já disse alhures que ando muito preocupado com a situação cipriota. Em primeiro lugar, porque lá todo mundo fala grego, o que já constitui uma dificuldade a mais para o entendimento mútuo. Na verdade, não é todo mundo. Há boa parte que fala turco. O que também não ajuda nada.

Vejam, então, que cipriotas gregos – falando grego – e cipriotas turcos – falando turco – geram uma balbúrdia pior do que na época da Torre de Babel.

Em segundo lugar, porque fica difícil saber quem foi que embolsou o dinheiro de que a ilha precisa para sanar seus problemas.

São dez bilhões de dólares!

E eu lhe pergunto, leitor benevolente: como é que uma ilhota minúscula daquela produz um rombo tão grande, muito maior que ela e ainda se mantém flutuando nas águas do Mediterrâneo?

Κυπριακή Δημοκρατία

Kıbrıs Cumhuriyeti

O nome oficial de Chipre em grego e em turco.

2. A SITUAÇÃO DO FLAMENGO E DO VASCO ­ – A situação desses dois times – pode ser que me engane – nem Pai Prudenço consegue resolver com reza forte. E a do Flamengo é até mais complicada, porque está de técnico evangélico, que tem o maior horror a despachos e ebós.

Aí, como me disse o próprio Pai Prudenço, “fica difice, zifio!”.

Framengo / Basco

Os nomes dos clubes na pronúncia dos torcedores.

3. MIANMAR NÃO SERVE DE EXEMPLO PARA NINGUÉM – Quando o país se chamava Birmânia, era menos confuso. Eu até tinha aprendido nas aulas de Geografia, na escola em Carabuçu, o nome da capital. Mas foi só instalarem lá uma ditadura há cerca de 50 anos, que resolveram trocar o nome do país para Mianmar. E a coisa não deu certo.

Agora, sob a égide de uma democracia vacilante, a maioria budista da população anda querendo dizimar a minoria muçulmana.

Logo os budistas, que têm do Ocidente o olhar admirado para seu badalado modo de vida pacífico.

E eu lhe digo, amigo leitor, nem Pacífico, nem Atlântico. É ferro na boneca!

Ficheiro:Myanmar long form.svg

O nome oficial de Mianmar em birmanês.

4. ESTOU PREOCUPADO COM A SÍRIA – O Papa Francisco falou com preocupação sobre a situação da Síria.

Eu também, Santidade, estou muito preocupado!

Como sói acontecer, os dois lados estão-se metendo o fogo e quem acaba sofrendo é o povo.

Depois é só questão de substituir uma ditadura por outra.

Ou você tem dúvidas de que assim será?

الجمهورية العربية السورية

O nome oficial da Síria em árabe.

5. “CÉSAR BORGES SERÁ O NOVO MINISTRO DOS TRANSPORTES” – Que São Cristóvão tenha piedade de nós!

Imagem em crystalarte.arribaweb.com.br.

O CHIPRE BOTOU O GALHO DENTRO

Vi no noticiário que o Chipre botou o galho dentro, diante das exigências da comunidade econômica internacional, para o plano de salvação nacional lá deles.

O presidente da ilha foi até Bruxelas beijar a mão dos “home” da grana, e o parlamento insular, que deu uma de macho, também já mudou a posição. Agora, parece, passou de ativo a passivo.

O Chipre precisa de dez bilhões de dólares. Isto aí: US$10.000.000.000.

Eu até fiquei sem dormir nessas duas últimas noites, preocupado com a quebradeira cipriota, que poderia levar de roldão toda a economia mundial.

Mais ou menos como o bicho de pé não curado, que, embora minúsculo, pode levar à morte o dono do pé.

Por outro lado, é de se perguntar onde, diabos, o governo do Chipre gastou tanta grana assim, já que o país é minúsculo – tem apenas 9.251km (A ilha do Bananal tem 20.000km².).

Tenho a impressão de que se se colocar este valor todo em notas de um dólar, uma ao lado da outra, dá para cobrir a ilha e sobrar para fazer fantasias para o próximo carnaval.

Afinal de contas, os cipriotas – gregos e turcos – não são idiotas e descobriram, ainda a tempo, que um país não é uma ilha, que possa viver isolado da comunidade internacional.

Se fez m*rda, agora tem que arcar com as duras consequências do remédio amargo.

O Chipre em cores (agora a situação está negra) (imagem em pt.wikipedia.com).

NOTÍCIAS COMENTADAS IX

Olhando as manchetes dos jornais online de ontem, permito-me mais uma vez dar meus pitacos, direito inerente a toda pessoa não especializada em nada, mas que se acha conhecedora de todos os assuntos.

Comecemos, então.

1. “Atentados marcam o aniversário da Guerra do Iraque” (Folha de São Paulo) – O comum, nessas ocasiões, são velas e balões de gás, bolos e doces. No Iraque, ao contrário, a comemoração de aniversários se dá com bombas e atentados. Tudo muito punk, muito macho. Quem sobreviver comemorará também no próximo ano.

2. “Katy Perry e John Mayer terminam namoro pela segunda vez” (Folha de São Paulo) – E o que é que eu tenho com isso? Podem atar, reatar, engatar, desengatar, como cães e gatos, que eu não tenho nada a ver com a vida sexual deles. O máximo que tenho é um cd do John Mayer, Born and raised, até razoável, como, aliás, é a Katy Perry, uma mocinha razoável, porém sem grandes belezuras.

3. “Parlamento do Chipre rejeita taxa e derruba Bolsas na Europa” (Folha de São Paulo) – O Chipre entende que qualquer país pode ser uma ilha, diferentemente do que dizia o teólogo e filósofo Teilhard de Chardin, a respeito do ser humano – “Nenhum homem é uma ilha”. É o que se pode depreender da banana que o parlamento da minúscula ilha do Mediterrâneo deu para a poderosa comunidade financeira internacional e suas condições para o socorro às combalidas finanças insulares. Se a ilha afundará nas águas calmas daquele mar interno, só o futuro escafandrista dirá.

Imagem em williamsportmassagem.blogspot.com.

4. “Daniel recebe alta do hospital após fazer uma cirurgia” (O Dia) – Sinceramente, eu esperava ficar sossegado para mais de mês, com o cantor sertanejo hospitalizado por mais tempo. Porém já estou vendo que essa minha tranquilidade musical em breve acaba. Isso é que dá o avanço da Medicina! Já, já, Daniel estará de volta para dar seus trinados. Saco!

5. “Mulher resolve pedir a separação do marido porque ele tem o pênis pequeno” (O Dia) – Onde está o pessoal do politicamente correto que não inicia uma marcha em defesa do pessoal pouco dotado? Talvez não aparecesse ninguém disposto a confessar isso em público. Mas, convenhamos, o pedido da mulher é um odioso preconceito! E nem sei também se a categoria pode ser considerada minoria. Qualquer homem, em sã consciência, gostaria de ter o seu um pouco maior. Por outro lado, onde está a sinceridade delas, quando dizem que não importa o tamanho da varinha, mas sim o tamanho da mágica que ela pode fazer?

6. “Pagamento do Imposto de Renda em cota única é a melhor opção” (Estadão) – E quem disse que há melhor opção em pagar imposto de renda. É sempre uma péssima opção. A não ser que você considere que quem não paga está em pior situação do que você que paga. Aí são outros quinhentos. Que devem ser enquadrados na alíquota de 27,5%.

7. “Ajufe diz que Barbosa namora advogada e não pode generalizar sobre conduta de juízes” (O Globo) – O troço está degenerando para baixaria, para bate-boca de comadre. A nossa excelsa justiça descendo do pedestal e chegando a vala comum do cidadão. Ó céus, o que esperar mais?

8. “Enem 2012: hino do Palmeiras garante 500 pontos à redação” (O Globo) – Nem no ENEM, com perdão do trocadilho, o Parmera ajuda seu torcedor. A redação valia 1000 pontos. O candidato, tirando a metade, ficou na segunda divisão da prova. Bem feito! Se tivesse transcrito o hino do Glorioso, certamente teria tirado 1000.

E, para terminar, a transcrição de três manchetes do Jornal do Comércio, que estão muito próximos de construir uma catástrofe econômica:

9. “Exportações do Rio Grande do Sul recuam 8,5% no mês de fevereiro, avalia Fiergs” / “Índice de desempenho da construção civil cai 10,7% em fevereiro” / “Ibovespa recua com desempenho fraco de Vale e CSN” – Duas vezes o verbo recuar e uma vez o verbo cair. Pode não ser nada, mas pode ser muita coisa. Quem sou eu para brincar com coisa tão séria. Acho melhor pedir ajuda ao Papa argentino.