DEUS E O DIABO (II)

Dando continuidade a algo que nem deveria ter começado, trago hoje mais dez pretensiosas observações acerca da eterna disputa entre Deus e o Diabo, na verdade Criador e Criatura, cujas consequências recaem sobre nós, pobres mortais.

Espero que com essas frases a vida de meus leitores se torne menos amarga, ou, pelo menos, mais risível.

Aí vão elas.

  1. Deus criou o azeite de dendê; o Diabo, a diarreia.
  2. Deus criou a compra a prestação; o Diabo, o SPC e o SERASA.
  3. Deus criou as licitações do governo; o Diabo, a delação premiada.
  4. Deus criou o paraíso; o Diabo, a demarcação de terras.
  5. Deus criou o pudim de leite condensado; o Diabo, o diabetes.
  6. Deus criou o cinema mudo; o Diabo, o filme musical.
  7. Deus criou o asfalto liso; o Diabo, as estradas brasileiras.
  8. Deus criou os rios, os lagos e os açudes: o Diabo, a SABESP.
  9. Deus criou os livros e as bibliotecas; o Diabo, a traça.
  10. Deus criou as férias; o Diabo, o câmbio e o preço dos hotéis.

 

Ilustração em joaoparanista.blogspot.com.

CERTOS EXCERTOS DE VERISSIMO

Com preguiça de pensar um texto e premido por uma viagem, resolvi escolher dez excertos do livro O mundo é bárbaro – e o que nós temos a ver com isso, de Luis Fernando Verissimo (Rio de Janeiro, Objetiva, 2012).

Obviamente que a empreitada foi mais custosa que elaborar qualquer bobagem (só tive esta ideia após terminar a leitura), mas Veríssimo é sempre mais interessante que as bobagens que escrevo.

Aí vão eles. Aproveitem.

1. “Diziam que o que sustentava o Partido Comunista americano eram as mensalidades dos agentes do FBI infiltrados entre os seus membros. Era fácil identificá-los – só eles pagavam em dia.” (Admirável, p. 96)

2. “Notícias de gripe na China são duplamente preocupantes: porque as gripes podem ser epidêmicas e porque elas possibilitam uma hipótese temida pela ciência há anos: a de que um dia todos os chineses espirrem ao mesmo tempo e desviem a Terra da sua órbita na direção do Sol e da extinção certa.” (O modelo, p. 98)

3. “Levei meu sistema gástrico para passear e a cabeça foi junto: durante três semanas a única notícia do Brasil que me interessava foi a posição do Internacional na tabela.” (O inimaginável, p. 65)

4. “Feliz é a mosca, que tem mais ou menos a nossa estrutura genética, mas absolutamente nenhum interesse nas suas implicações.” (Esquerda e direita, p. 159)

5. “A longo prazo estaremos todos mortos, e se você consegue manter a cabeça no lugar enquanto todos à sua volta estão perdendo a sua, você provavelmente está mal-informado.” (O lado bom da situação, p. 164).

6. “A vida humana seria difícil se não pudéssemos colher uma beterraba sem ouvir as lamentações da sua família e insultos do resto da horta.” (Da sua natureza, p. 47)

7. “A vaidade, outra característica exclusivamente humana (o pavão também é vaidoso, mas não gasta uma fortuna com as penas dos outros para fazer sua cauda), também teria contribuído para que o Homem prevalecesse, pois de nada adiantariam suas façanhas com o polegar, e com as mulheres, se não pudesse contar depois.” (O que move a humanidade, p. 54)

8. “Todo brasileiro recebe, desde que nasce, uma educação em descaso.” (Produtos do meio, p. 57)

9. “Quando eu era garoto nós tínhamos uma empregada negra que usava um nome apropriado para nós, de carne branca: peixe.” (Peixe na cama, p. 147)

10. “Os ingleses fizeram a sua revolução republicana antes dos franceses, mas, sabiamente, voltaram atrás e mantiveram a monarquia, intuindo que um poder não pode governar e dar espetáculo ao mesmo tempo.” (Anti-ingleses, p. 63)