ENFIM O OUTONO

O outono é uma estação que inspira. Não sei bem o quê. Mas inspira. Quem tem problemas respiratórios nem gosta de inspirar, porque os pulmões se congestionam. Mas não é disso que quero dizer aqui. Desde o ano passado, tenho um rascunho inacabado sobre o outono. Já fiz outros tantos poemas falando sobre esta estação bipolar. Na verdade a deste ano, atrasada por mais de um mês, enfim chegou por aqui. A temperatura, até então uma canícula senegalesca, como gosta de registrar o amigo Rogério Andrade Barbosa, caiu quase vinte graus. Passamos do verão tórrido para um quase inverno carioca.

Aí, peguei as câmaras e fui registrar esses tropicais tons outonais. Aí vão algumas fotos.

Bom outono a todos! Enfim!

DSC07870 DSC07871 DSC07873 DSC07882 DSC07883 DSC07884 DSC07886

JURUJUBA: BARCOS ETC.

Hoje pela manhã, resolvi voltar a Jurujuba, bairro de pescadores de Niterói, que tem sempre uma paisagem interessante, com seus barbos atracados na enseada. Estou ainda experimentando a nova câmara fotográfica que adquiri. Confesso que não a conheço bem, mas só se conhece um equipamento, após a leitura do manual, com a experimentação. Aí estão algumas das fotos que fiz e os efeitos que consegui aplicar ao que os olhos viam. Espero que gostem do resultado.

Bom domingo a todos!

048 060 075 087 089049

NITERÓI: 440 ANOS

Niterói completou no último dia 22/11 440 anos, desde que foi fundada pelo cacique Arariboia, da tribo dos temiminós capixabas, que recebeu do rei de Portugal as terras onde se localiza a cidade, em agradecimento ao seu empenho na guerra contra os franceses, que haviam invadido a cidade do Rio de Janeiro. A história é muito interessante.

De lá para cá, a cidade cresceu, mas não tanto como algumas que são até mais moças e que não tiveram nem mesmo o status de capital estadual. Niterói é uma mistura, até hoje, de cidade grande e interior, o que lhe dá um charme todo especial. Eu mesmo vim para cá em 1967 e não mais saí. E, apesar de todos os problemas por que a cidade passa atualmente, posso dizer que ainda é muito prazeroso ser um de seus habitantes. Por enquanto, há mais benefício que custo, embora a vida aqui seja um tanto cara.

Para comemorar seu aniversário, resolvi postar algumas das fotos que tenho feito com frequência de suas paisagens, sobretudo da que me fica logo adiante do nariz: Icaraí e imediações.

Espero que gostem.

2013-03-26 18.07.02

Niterói 440 anos 1

Niterói 440 anos 2

Niterói 440 anos 3

Niterói 440 anos 4

Niterói 440 anos 5

Niterói 440 anos 6

FIM DE TARDE

Esta primavera tem sido surpreendente. Tanto pela alternância entre calor de verão e frio de inverno, quanto pela luminosidade do final do dia. Assim, aproveito o passeio com meu netinho no calçadão da praia de Icaraí para flagrar alguns instantes dessa luz especial da estação.

Aí estão algumas fotos. Não custa repetir: eu me repito, mas a natureza está sempre propiciando diferentes nuances.

Museu de Arte Contemporânea, com o Cristo Redentor ao fundo.

Museu de Arte Contemporânea, com o Cristo Redentor ao fundo.

Outra vista do MAC, agora com a Pedra de Itapuca em destaque à esquerda.

Outra vista do MAC, agora com a Pedra de Itapuca em destaque à esquerda.

 

MAC e Ilha da Boa Viagem, com as montanhas do Rio de Janeiro ao fundo.

MAC e Ilha da Boa Viagem, com as montanhas do Rio de Janeiro ao fundo.

 

Pòr do sol na Baía de Guanabara.

Pòr do sol na Baía de Guanabara.

 

Pão de Açúcar e Morro Cara de Cão recortados contra o poente.

Pão de Açúcar e Morro Cara de Cão recortados contra o poente.